domingo, 17 de dezembro de 2006

meneses em recife

Uma da manhã, ou algo assim (aqui não tem horário de verão), e cá estou eu no aeroporto de Recife esperando o vôo para São Paulo. O que estou fazendo aqui? Cheguei ontem para acompanhar dois concertos do festival Virtuosi, que está em sua nona edição, e para entrevistar o violoncelista Antonio Meneses. Essas viagens são sempre cansativas mas tem coisas que as fazem valer a pena. Caso do recital que vi agora há pouco no Teatro de Santa Isabel. Foi algo como "Antonio Meneses & Friends". O violoncelista dividiu o palco com artistas como o flautista Rogério Wolff, o contrabaixista Sérgio de Oliveira, o violinista Yeheskel Yerushalmi, spalla da orquestra do Maggio Musicale de Florença, e a pianista Ana Lúcia Altino. No repertório, Villa-Lobos, Rossini, Beethoven, Marlos Nobre, entre outros. A gente já sabia que a música de câmara é a praia de Meneses. Mas vê-lo em uma noite como a de hoje, se adaptando a cada intérprete, tocando um repertório que vai do barroco ao século 20, é um lembrete mais que bem-vindo. A propósito: na conversa que tivemos hoje de manhã, Meneses disse que assim que conseguirem um espaço em suas agendas, ele e o pianista Gerald Wyss voltam ao estúdio, agora para gravar Mendelssohn - os dois acabam de lançar, pelo selo Clássicos, um belíssimo disco dedicado a Schumann e Schubert.

Um comentário:

pedrita disse...

que maravilha. acredita que nunca fui à recife? minha irmã está aí. me ligou da praia ontem. quem sabe vcs estão no mesmo hotel. obrigada pelo desejo de mais anos de blog. beijos, pedrita