quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

a música clássica na imprensa

O jornalista Clóvis Marques, militante na vida musical carioca, acaba de publicar no site Opinião e Notícia uma série de entrevistas sobre a música clássica na imprensa. Ele ouviu os jornalistas Lauro Machado Coelho, Luiz Paulo Horta, Irineu Franco Perpétuo e João Batista Natali. O texto completo você encontra no site http://opiniaoenoticia.com.br/interna.php?mat=6812. Todos eles responderam a quatro perguntas: qual a orientação das direções dos jornais na cobertura de clássicos?; é adequado o espaço dedicado à música clássica no seu jornal?; qual deve ser o papel de um crítico?; qual a orientação que costuma imprimir em suas críticas? As respostas não esgotam o assunto mas oferecem um panorama bastante diversificado da atividade crítica e seus dilemas. Vale a leitura.

2 comentários:

pedrita disse...

eu gostei muito dessa matéria. é bom debater o tema. beijos, pedrita

Roberta disse...

Muito interessante a matéria do Clóvis Marques- que conhece bem Música no Museu- e estes pronunciamentos. Como sua Assessora de Imprensa , gostaria de agregar também o projeto Música no Museu que abriu novos e prestigiosos espaços para a música clássica e já em 2005 quando realizou 340 concertos mereceu o título de '" maior Série de música clássica do Brasil" do próprio Ministro Gilberto Gil. Em 2006, nesta semana que entra, dia 23/12 mais precisamente, completa 428 concertos/ano e o comemorativo dos 9 anos de projeto levou, em novembro, multidões a Tiradentes para assistir Nelson Freire com excelente midia- 28 minutos só na Globo (inclusive Jornal Nacional ao vivo, Globo News, todos os jornais da Globo em Minas Gerais durante vários dias) além de registros em todos os veículos de comunicação e até na Revista Caras que, por duas edições seguidas, deu destaque ao evento. Todos os seus concertos sào gratuitos e considerando-se um público médio de 150 pessoas (inclusive turmas de alunos da rede pública que assistem o concertos e visita as exposições dos museus) , agrega-se, ano a ano, 60.000 pessoas e dando espaços a 2.000 musicos/ano, sendo 30% de jovens ganhadores de premios. Todos os naipes já foram contemplados na Série que chega a realizar dois a tres concertos em um mesmo dia. Nestes 9 anos nunca cancelou um concerto e mesmo em situações adversas (greves nos museus, por exemplo) conseguiu alternativas e não paralizou o projeto. Também é pioneiro em fazer concertos de janeiro a dezembro e com isto o público sabe que Música no Museu tem quantidade e qualidade na sua programação e o prestigia sempre já que todos os museus vivem lotados. Com uma midia e critica generosíssimas, Música no Museu consolida-se no cenário cultural brasileiro e seu criador e Diretor, Sergio da Costa e Silva, foi um dos ganhadores do prêmio Golfinho de Ouro 2006. Sinto orgulho de participar desta equipe e gostaria de ver o nosso trabalho divulgado neste importante espaço. Maiores informações e programação estào no nosso site www.musicanomuseu.com.br - Roberta Parente, Assessora de Imprensa.


MÚSICA NO MUSEU- 2006

O QUE É MÚSICA NO MUSEU - Música no Museu é a versão brasileira do que acontece nos museus de maior expressão no mundo: Metropolitan, MoMA, Guggenhein (Nova Iorque), Louvre, Picasso, Montmartre (Paris), Gulbenkian (Lisboa), Prado (Madrid) etc. que, a par de suas atividades principais nas artes plásticas, dedicam amplos espaços à música. A música como elo entre as artes plásticas e os próprios cenários dos museus trazem um ganho considerável a sua densidade cultural.



Música no Museu é uma série de concertos gratuitos que busca privilegiar a música de boa qualidade, sem distinção de procedência, escola ou época - da música medieval aos clássicos europeus, dos românticos aos impressionistas, dos modernos aos contemporâneos brasileiros, de Bach, Beethoven, Mozart e Debussy a Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Astor Piazzolla e Gershwin, todos já passaram pelos palcos de Música no Museu, na interpretação dos melhores solistas grupos brasileiros e alguns internacionais.





HISTÓRICO - Inaugurada em dezembro de 1997 no MNBA pelo violonista Turíbio Santos, Música no Museu conta hoje, no Rio de Janeiro, com vinte e nove dos melhores museus e centros culturais cariocas, integrando a relação da qual constam: Museu Nacional de Belas Artes, Museu da República, Museu Histórico Nacional, Museu Nacional da UFRJ (Quinta da Boa Vista), Museu da Chácara do Céu, Museu do Açude, Parque das Ruínas, Biblioteca Nacional, Museu Internacional de Arte Naïf do Rio de Janeiro, MAM-Museu de Arte Moderna, Casa França-Brasil, Casa de Cultura Laura Alvim, Museu do Radio Roberto Marinho, Espaço Cultural da Marinha, Museu do Exército (Forte de Copacabana), Museu Militar Conde de Linhares, Casa de Cultura Julieta de Serpa, Centro Cultural Telemar (Museu do Telefone), Museu da Cidade, Memorial Getúlio Vargas, Centro Cultural Light, Arquivo da Cidade do Rio de Janeiro, Museu H. Stern. Espaço Furnas Cultural, Palácio Itamaraty, Palácio São Clemente (ex Embaixada de Portugal )





EXPANSÃO - Música no Museu , no entanto, não se contentou em permanecer dentro das fronteiras cariocas, iniciando processo de expansão a partir de 1999, sempre com enorme sucesso de público, casas cheias, freqüentadores assíduos e apoio da mídia impressa e eletrônica, e já é uma realidade em São Paulo (Museu da Casa Brasileira, desde 07/04/02), Belo Horizonte (Museu Histórico Abílio Barreto, desde 28/06/02), Brasília (Memorial JK, desde 04/09/02). Em Florianópolis (Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Souza) e também em Curitiba, (Museu Oscar Niemayer), Porto Alegre (MARGS) e Museu Padre Toledo, em Tiradentes-MG, Solar do Jambeiro (Niterói).



Também realizou, com o maior êxito, Musique au Musée- Musée de Montmartre- Paris dando um cunho internacional à Série. Em 2006 realizou o I Festival Internacional de Harpas do Rio de Janeiro, também com o maior sucesso.



Em novembro de 2006, comemorando os 9 anos da Série, fez memorável concerto em Tiradentes com o pianista Nelson Freire e que mereceu grande destaque na midia inclusive com Jornal Nacional ao vivo.





PRINCIPAIS INDICADORES:

· Mais de 170 mil pessoas já o assistiram

· cerca de 1.500 concertos gratuitos realizados com a participação de mais de 1.100 músicos (grupos / orquestras / corais e solistas) , sendo 80 artistas internacionais (grupos e solistas) desde o início do projeto ate junho de 2005 sendo que no primeiro ano tivemos 1 único Museu, ampliamos para 2 dois anos depois, para 11 em 2002 e agora estamos com 25.

· Nunca houve cancelamento de um concerto ou atraso nos realizados .

· Todos os espetáculos são registrados em vídeo e depois edita-se a versão do Musica no Museu no ano.

· Participação de artistas estrangeiros através de convênios com Embaixadas, Consulados e Órgãos Internacionais.

· Tem recebido excelente resposta da mídia com mais de 2.5000 registros expressivos nas mais importantes colunas e matérias nos jornais, rádios, revistas e tvs do pais



PRINCIPAIS OBJETIVOS

· Formar novas platéias, facilitando e incentivando a presença de crianças e jovens aos concertos.

· Incentivar a visita de seus freqüentadores aos museus onde acontecem os espetáculos da série, criando programas temáticos que combinam o repertório apresentado aos eventos de artes plásticas em curso na casa - programação de compositores franceses para a exposição de Rodin, de espanhóis para Esplendores de Espanha, etc.

· Manter um evento de difusão cultural que atinja públicos distintos, com boa visibilidade na mídia, e que atraia amantes da música.

· Quebrar as barreiras entre eventos de música clássica e de outros gêneros quanto ao interesse do publico em geral e aos locais de apresentações.

· Incentivar jovens músicos, dando a eles a oportunidade de se apresentar em locais de prestígio, para uma platéia interessada e conhecedora, como é o caso do pianista Pablo Rossi (14 anos), ganhador do concurso Nelson Freire de piano já se apresentou com a OSB no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que abriu a série em Florianópolis.



· Oferecer espetáculos de alto nível artístico a custo zero.

· TODAS AS APRESENTAÇÕES DA SÉRIE TÊM ENTRADA FRANCA.



RECORDES DE PÚBLICO :

· Museu da República - Orquestra Petrobrás ProMusica: 2.000 pessoas; 40º aniversário do Museu da República - Concerto ao ar livre.

· Museu Nacional de Belas Artes- Orquestra Rio Camerata -concertos de Natal realizados na maior galeria do museu, com 1.000 pessoas em 2001 e 1.000 pessoas em 2002. Estes concertos tornaram-se o Especial de Natal da TVE e exibido no dia de Natal em rede nacional.

· Museu da Casa Brasileira- SP- Paulo Moura e Clara Sverner - 800 pessoas.

· Memorial JK (Brasília)- Paulo Moura e Clara Sverner 600 pessoas.

· Museu da UFRJ (Quinta da Boa Vista)- Quinteto de Metais da OSB- 600 pessoas- concerto comemorativo do Dia das Mães.

· Museu Histórico Abílio Barreto, Belo Horizonte -Antônio Menezes- 500 pessoas.

· Museu Nacional de Belas Artes- Orquestra Brasileira de Harpas- 500 pessoas.

· Museu Histórico Nacional - Orquestra Rio Camerata - 400 pessoas.

· Casa Franca-Brasil- Orquestra Brasileira de Harpas- concerto em homenagem a Hildegard Angel- 600 pessoas.

· Casa França- Brasil - Orquestra Rio Camerata - Abertura dos Concertos de Outono - 720 pessoas.

· Memorial JK (Brasília) - Orquestra de Senhoritas - 720 pessoas.

· Museu do Exército (Forte de Copacabana) - Camerata de Violões - 670 pessoas.

· Museu Oscar Niemayer (Curitiba )- violonista espanhol Pablo Arrieta- 600 pessoas.

· Casa de Cultura Laura Alvim- Orquestra Brasileira de Harpas-homenagem a Radio Tupi.- 600 pessoas.

· Casa França-Brasil- pianista Miguel Proença- Abertura dos Concertos de Verão 2005- 800 pessoas.

· Casa França-Brasil- pianista Artur Moreira Lima- Abertura dos Concertos de Outono 2005- 1.000 pessoas

· Museu Histórico Nacional- pianista Arnaldo Cohen- Abertura dos Concertos de Inverno 2005- 1.200 pessoas.

· Theatro Municipal do Rio de Janeiro- Orquestra Sinfônica Brasileira- Concerto comemorativo dos 8 anos de Música no Museu- outubro 2005- 2.000 pessoas.

· Central do Brasil - Prédio tombado pelo IPHAN. Concerto de Natal - Banda Sinfônica e Coro da UFF - 4.000 pessoas (dezembro 2005.).

o Igreja Matriz de Santo Antônio (Tiradentes-MG)- Concerto comemorativo dos 9 anos de Música no Museu- Nelson Freire, piano- 400 pessoas no interior da igreja, 800 pessoas no Atrium e 2.000 pessoas pelos telões na cidade. Total 4.200 pessoas. (novembro de 2006).



FORMATAÇÀO DO PROJETO:

O projeto divide-se em 5 temporadas anuais:

Concertos de Verão (janeiro/março)

Concertos de Outono (abril/junho)

Concertos de Inverno (julho/setembro)

Concertos de Primavera (setembro/novembro)

Grandes Concertos de Natal (dezembro).