sábado, 12 de maio de 2007

atualizações

Fiquei alguns dias fora do ar, envolvido com projetos fora e dentro da redação, tempo suficiente para novidades passarem batidas aqui no blog. Para quem ainda acredita nele, uma breve atualização. O tenor Fernando Portari substituiu o colega mexicano Rollando Villázon em uma récita da nova produção de “Manon”, de Massenet, na Staatsoper de Berlim, cantando ao lado da soprano russa Anna Netrebko, que entrou para a lista das cem mais influentes personalidades do mundo da revista Time; enquanto isso, em Boston, elogios rasgados à interpretação do barítono Paulo Szot como o conde nas “Bodas de Fígaro”, de Mozart, seguida da notícia de que ele interpretará Don Giovanni no Metropolitan de Nova York; por aqui, Manaus estreou a primeira produção brasileira de “Lady Macbeth do Distrito de Mtsenk”, de Shostakovich (leia crítica de Lauro Machado Coelho); e Leonardo Martinelli comenta o lançamento do livro “O Pensamento Musical de Nietzsche”, de Fernando Moraes de Barros, lançamento da Perspectiva; de volta às notícias internacionais, Pierre Boulez anunciou que a produção atual de "From the House of the Dead", de Janácek, atualmente em cartaz em Viena, é sua última incursão pelo mundo da ópera; e a Filarmômica de Berlim informou que vai instaurar uma investigação sobre suas atividades durante os anos do Nazismo.

3 comentários:

pedrita disse...

achei que tinha desistido de blogar e estava frustrada. agora que seu blog saiu no guia viva música, vc não pode nos abandonar. queria muito ter ido a manaus ver lady macbeth depois que mostraram um trecho da ópera em dvd no lançamento do livro do lauro sobre shostakóvich. infelizmente não pude ver, que bom que temos o lauro para nos contar como foi. mas vc também devia ter ido. imperdoável perder essa montagem né? beijos, pedrita

pedrita disse...

pronto, agora consegui ler a crítica do lauro sobre lady macbeth, adorei e que foto. pelo menos deu um pouco a sensação de que eu estive por lá. beijos, pedrita

Lauro Machado disse...

Parabéns ao Fernando por mais esse sucesso lá fora. Ele me parece ter uma afinidade especial com os papéis franceses, a julgar pela maneira como fez Des Grieux na montagem de Manaus trazida para o Teatro Alfa.
A carreira internacional do Fernando deverá receber um belo impulso, após essa "Manon" ao lado da Netrebko, a soprano da hora. Recentemente foi elogiada também a sua participação em "Il Crociato in Egitto", ópera da fase italiana de Meyerbeer, em um teatro italiano.
Conversei dias atrás com Pedro Portari, pai do Fernando -- que estava compreensivelmente exultante -- e ele me falou de um concerto, no exterior, em que o seu filho vai fazer uma peça que cantou muito bem, aqui em SP, com a Osesp: as "Iluminações", de Benjamin Britten, sobre poemas de Artur Rimbaud.
"In bocca al lupo!", Fernando.