quarta-feira, 16 de maio de 2007

galina no cinema

Luiz Carlos Merten conta, de Cannes, onde está realizando para o Estadão a cobertura da 60ª edição do célebre festival de cinema francês, que o novo filme de Aleksander Sokurov tem como protagonista a soprano Galina Vishniévskaia, esposa de Rostropóvitch. Quando conversamos, ele ainda não havia visto o filme, que se chama "Alexandra" e narra de a história de uma avó que vai visitar o neto, soldado das tropas russas em atividade na Chechênia. Aqui, mais informações sobre o filme - e uma entrevista em que Sokurov afirma que levar Galina ao cinema foi a realização de um sonho (ele já havia assinado um documentário sobre ela e Rostropóvitch). O Merten não soube me dizer se ela comparecerá ao festival, não apenas pela morte recente do marido - segundo as agências internacionais, ela foi diagnosticada com pneumonia há cerca de duas semanas. Mas ele prometeu ficar de olho e, no caso dela aparecer por lá, tentar uma conversa.

5 comentários:

Lauro Machado disse...

Imagino que Galina, neste filme de Sokuróv, deve ser o equivalente da Callas na "Medea" de Pasolini: ou seja, a grande cantora-atriz que, na tela, é tão impressionante quanto no teatro. Vishniévskaia nasceu para pisar num palco, e a sua voz falada -- com um aristocrático sotaque de São Petersburgo -- é tão bonita quanto a cantada. Os poucos documentos visuais que temos dela, a "Katerína Izmáilova" de Shostakóvitch, filmada por Mikhaíl Shapíro; alguns trechos de sua Tatiana no "Ievguiêni Oniéguin", que a gente encontra no YouTube; e um ou outro vídeo de recital de canções, em companhia do marido, revelam a atriz nata (e nem é necessária a imagem: ouçam a sua Liù no Scala, com Nilsson e Corelli; ou a belíssima Natasha de "Guerra e Paz": a atriz está toda ali, sugerida pelas mínimas inflexões da voz). Que este filme chegue logo! Não vejo a hora de assisti-lo!

Lauro Machado disse...

Ah! e antes que eu me esqueça: a sra Rostropóvitch continua politicamente correta. A artista que uniu-se ao marido no protesto contra o governo Bréjnev continua na linha de frente, associando-se à denúncia que Sokuróv faz da opressão russa à Chechênia.

pedrita disse...

bacana. é uma emoção termos o merten como jurado em cannes. ótimas matérias de cannes hj no estadão. queria estar lá. beijos, pedrita

joãosampaio disse...

oi, lauro, conversando com o pessoal do cinema aqui na redação, obtive algumas informações sobre a estréia de "Alexandra". O filme deve estar na Mostra Internacional de São Paulo em setembro - mas, em circuito, deve estrear mesmo só em 2008.

Lauro Machado disse...

Esse, João, eu quero ter em DVD. Questão de devoção, sabe como é?