segunda-feira, 11 de junho de 2007

se todos fossem iguais a você...

Do diretor de TV e cineasta Luiz Fernando Carvalho, que assina a adaptação de "A Pedra do Reino", de Ariano Suassuna, que estréia amanhã na Globo, em entrevista a Luiz Carlos Merten: "Você faz cinema e TV, por que não ópera?Já me convidaram para dirigir uma opereta, mas eu disse não. Tenho muitas coisas para fazer, antes. E, depois, não quero dirigir ópera por dirigir, sem preparo, como tanta gente vem fazendo. É uma linguagem muito rica e complexa. Exige domínio cênico, conhecimento musical."

8 comentários:

pedrita disse...

eu quero muito assistir a pedra do reino, mas tenho um evento amanhã e acho que vou perder o primeiro capítulo. beijos, pedrita

Lauro Machado disse...

Nessa mesma entrevista, João, ele diz que, em sua adaptação da "Pedra do Reino", faz uma homenagem a Visconti ao citar a música de Franz Mahler para "Morte em Veneza". E acrescenta que Mahler, morto em 1911, foi acusado de ser nazista.
Obviamente, ele confundiu com Franz Strauss. Esse, sim, era um nazista perigoso porque, como você sabe, ele compôs "A Mulher sem Sombra" como parte da propaganda ariana para que as mulheres dessem muitos filhos ao III Reich.

joãosampaio disse...

oi, lauro, alertado pelo celso antunes, havia falado ao merten do erro duplo cometido. e ele reconheceu que o erro foi dele ao reproduzir a entrevista e não do diretor. ele faz, inclusive, um mea culpa no blog dele. http://blog.estadao.com.br/blog/merten/. abração

Lauro Machado disse...

O bom seria, João, se a errata saísse no próprio jornal, pois quem leu a entrevista lá, como o Celso Antunes -- que também me escreveu a respeito --, não freqüenta, obrigatoriamente, o blog do Mertens.

Renato disse...

FRANZ Mahler, FRANZ Strauss? meus queridos amigos, há um private joke por detrás disso ou eu estou mesmo por fora do que vocês estão falando?

Aliás, quando essa polêmica da nazificação do Strauss vai acabar? nunca?

Lauro Machado disse...

Tudo não passou, Renato, de um equívoco infeliz do nosso colega de redação, ao transcrever as declarações do entrevistado. Mas que ficou engraçado, ficou.

Agora, a polêmica sobre as posições "nazistas" de Strauss -- essa, sim, já poderia ser arquivada.

E, por falar nisso, você já viu o filme do István Szabó sobre o processo de desnazificação do Furtwängler? É sensacional.
Um abração,
Franz Coelho.

Renato disse...

não vi; me dê as dicas... está nos cinemas ou é um DVD ?

abração

Franz Muskat

Poletti disse...

Eu vi... o filme e ótimo mesmo. Lamentavelmente não saiu em DVD no Brasil, so importado, mas realmente vale a pena... Chama-se Taking Sides. A cena daquele famoso registro de Furtwangler limpando a mão, discretamente, após cumprimentar Goebbels e marcante.

Neste link do Youtube, da pra ver esse momento:
http://www.youtube.com/watch?v=Yqff1F0Ijn0

Alias no Youtube existem vários registros da regência de Furtwangler.