quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

coral paulistano canta guarnieri

O Coral Paulistano, corpo estável do Teatro Municipal, abre amanhã sua temporada com uma homenagem a Camargo Guarnieri, de quem se lembra este ano o centenário de nascimento. Justiça histórica – não apenas porque a música coral do compositor merece resgate urgente, mas também porque muitas de suas obras no gênero foram escritas especialmente para o grupo, criado por Mário de Andrade, que influenciou como poucos na orientação nacionalista adotada pelo autor.Sob regência de Mara Campos, o conjunto vai interpretar peças como a "Missa Diligite", "Vamus Aloanda", "Sinhô Lau", "Coisas Desse Brasil" e "Egbegi". O programa será complementado por obras de outros autores como Osvaldo Lacerda, Almeida Prado, Antonio Ribeiro e Aylton Escobar, todos eles alunos de Guarnieri, responsáveis por levar seus ensinamentos a uma nova geração de ouvintes. Além de Mara Campos, atual diretora artística e regente titular do conjunto, participam da apresentação do Coral o baixo Jan Szot, o pianista Renato Figueiredo e os percussionistas Nestor Gomes, Magno Bissoli, Reinaldo Calegari e Richard Fraser. O concerto será realizado no Auditório do Masp, o lar provisório do Coral Paulistano enquanto durarem as reformas no palco e na fachada do Teatro Municipal. Serviço: Sábado, dia 24, 16 horas. Masp – Grande Auditório. Av. Paulista, 1.578, 3251-5644. R$ 10

Um comentário:

Rodrigo disse...

SÉRIE DE CONCERTOS PRESTA HOMENAGEM
A GÊNIO DA MÚSICA DE CÂMARA

Celebrando o centenário de nascimento de Camargo Guarnieri,
CCBB Brasília apresenta
Um Painel da Música de Câmara de Camargo Guarnieri.


Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993) é considerado um dos maiores compositores do século vinte. Pouco conhecido do grande público, é comparado por muitos musicólogos a Villa-Lobos. As obras de ambos são igualmente vastas, diversas e genuinamente brasileiras. Camargo Guarnieri foi fundador do Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Sinfônica da USP. Compôs mais de setecentas obras, tendo assim, construído o segundo maior conjunto de criação musical que o Brasil já produziu. Internacionalmente reconhecido, Guarnieri foi premiado várias vezes, inclusive com o título de “Maior Compositor Contemporâneo das Três Américas”, concedido pela OEA.

A série “Um Painel da Música de Câmara de Camargo Guarnieri”, promovida pelo CCBB, presta uma homenagem ao compositor, que completaria cem anos em 2007. Serão quatro concertos, com a riqueza, apuro
técnico e alto refinamento artístico, características da música de câmara e da obra de Camargo Guarnieri. As apresentações ocorrem todas as terças do mês de março, no teatro do CCBB, sempre às 13h, com entrada gratuita, e às 21h.

A cada semana será apresentado um conjunto de obras, divididas segundo estilo e ordem cronológica: As Sonatas, Os Ponteios, As Canções e Os Quartetos. Cada concerto será interpretado por músicos e cantores renomados na cena brasileira e intimamente envolvidos com a obra de Guarnieri. Além disto, todas as apresentações terão caráter didático, com explicações sobre as obras.


Guarnieri foi discípulo de Mário de Andrade, daí sua intelectualidade e formação humanística que orientou toda a sua atuação como compositor. Por essas razões, Guarnieri encarnou tão bem os princípios do modernismo brasileiro, refletindo alto conhecimento e amor ao país. Em sua música, o Brasil é retratado de maneira inquieta, questionadora e apaixonada, fora do convencional. Após longas pesquisas, surgiram às terças caipiras, as escalas nordestinas, os ritmos afro-brasileiros.


Os concertos
Abrindo a programação, dia 6 de março, As Sonatas para piano e violino, com a apresentação da filha do compositor, a violinista Tânia Camargo Guarnieri. O autor estudou violino quando criança, e sua obra demonstra grande conhecimento sobre este instrumento. A presença de Tânia confere a esta homenagem um lado afetuoso e mostra que seu legado à música brasileira vai além de suas composições.

Para conhecer Guarnieri em seu ambiente mais natural, no dia 13, obras para piano solo - Os Ponteios. São prelúdios com caráter clara e definitivamente brasileiro, com a presença forte de elementos musicais folclóricos, com alterações harmônicas modernas e ousadas, complexidade rítmica e uma certa flexibilidade nos desenhos rítmicos, muito própria da música brasileira. Para apresentar este programa, a pianista russa Olga Kiun, descende de uma tradicional família de músicos soviéticos, doutora pelo Conservatório de São Petersburgo sob a orientação de Pavel Serebriakov.

No concerto do dia 20, As Canções. “Pela beleza e pela originalidade das melodias, são a sua melhor contribuição para a música brasileira” escreveu Mario de Andrade em 1940. Ao todo são quase 300 canções escritas por Guarnieri, que mostram grande equilíbrio entre piano e voz. A interpretação das canções pelo trio “Pleno Canto” traz à série um sangue novo: são jovens músicos que se unem para valorizar o repertório de voz e piano com especial ênfase na música brasileira.


A série será encerrada com chave de ouro, dia 27, com a música sublime de Os Quartetos, com a interpretação emblemática do Quarteto Camargo Guarnieri. O quarteto de cordas se firmou no século dezoito, a partir de Haydn, como o mais refinado dos conjuntos de música de câmara. De Mozart a Berg, de Beethoven a Schnittke, tem desafiado todos os grandes compositores eruditos dos últimos 300 anos. A qualidade dos quartetos aqui apresentados foi reconhecida no Brasil e no exterior. Em 1944 o Quarteto Nº 2 recebeu nos EUA o 1o prêmio no Primeiro Concurso Internacional para Quartetos patrocinado pela Chamber Music Guild de Washington, em conjunto com a RCA Victor Recording Company. Já o 3o Quarteto foi premiado com a Medalha de Prata da Associação Paulista de Críticos de Teatro e Música como melhor obra de câmara do ano de 1963. O Quarteto Camargo Guarnieri tem levado o nome do compositor a ser ligado a uma prática interpretativa do mais alto nível técnico-musical, haja vista o prêmio Carlos Gomes que acabam de receber como melhor grupo de música de câmara de 2006.


Em 1970, o crítico, musicólogo e fundador da Academia Brasileira de Música Eurico Nogueira França, afirmou o seguinte: “Guarnieri é um compositor de formas intimistas e suas obras mais bem sucedidas são as de câmara: quartetos, canções e música para piano. Na minha opinião, ele é um mestre de pequenas formas, um miniaturista”. Some-se a isto, o grande apreço que o compositor tinha pelas formas clássicas, onde sempre se desincumbiu com sucesso da dura tarefa de criar música nova sem abandonar as formas tradicionais.


PROGRAMA:
A série se divide em quatro concertos:
As Sonatas; Os Ponteios; As Canções e Os Quartetos
cada um com duração de cerca de 60 min.

As apresentações das 13h têm entrada franca, mediante retirada de senha 30 minutos antes do início do espetáculo.
As apresentações das 21h têm ingressos a R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia -para estudantes e pessoas com mais de 65 anos)
1º As Sonatas 6/03/07 Terça-feira, às 13h e 21h.
Tânia Camargo Guarnieri – Violino
Maria Di Pasquale – Piano

Sonatina (1974) (dedicada à sua filha Tânia)
Com Alegria
Triste e Melancólico
Festivo
Sonata n. 3 (1950)
Moderato espressivo
Terno
Decidido
Encantamento (1941)
Sonata n. 4 (1956)
Energico ma espressivo
Íntimo
Allegro appassionato



2º Os Ponteios 13/03/07 Terça-feira, às 13h e 21h.
Olga Kiun – Piano



1º Caderno
Nº 1 - Calmo, com Profunda Saudade
Nº 2 - Raivoso e Ritmado
Nº 3 - Dolente
Nº 4 – Gingando
Nº 6 - Apaixonado
Nº 7 – Contemplativo
Nº 8 – Angustioso
Nº 10 – Animado

2º Caderno
Nº 12 - Decidido
Nº 15 - Incisivo
Nº 17 - Alegre

3º Caderno
Nº 22 - Triste
Nº 24 - Tranqüilo
Nº 25 - Esperto
Nº 29 - Saudoso
Nº 30 - Sentido

5º Caderno
Nº 43 - Grandeoso
Nº 45 - Com Alegria
Nº 49 - Torturado
Nº 50 - Lentamente e Triste







3º As Canções 20/03/07 Terça-feira, às 13h e 21h.
Trio Pleno Canto
Carlos Eduardo Vieira – Barítono; Elaine de Moraes – Soprano; Miroslav Georgiev – Piano

As Canções
Prelúdio Nº2.........................................................Guilherme de Almeida (1928)
O Impossível Carinho.......................................... Manuel Bandeira (1930)
Minha Viola.......................................................... Galeno Juvenal (1929)
Quando Te Vi pela Primeira Vez......................... Cleomenes Campos (1939)
As Flores Amarelas dos Ipês............................... Marques Azevedo (1928)
Tristeza................................................................. Rossine C. Guarnieri (1939)
Dengues da Mulata Desinteressada..................... Ribeiro Couto
Isto é Você............................................................ Suzanna de Campos (1955)
Canção.................................................................. Tasso da Silveira (1930)
Canção Ingênua.....................................................Waldisa P. Russio (1959)
Ronco do Eco e do Descorajado............................Mario de Andrade (1949)
Vai Azulão..............................................................Manuel Bandeira (1938)
Seca.......................................................................Sylvia C. de Campos (1958)
A Serra do Rola-Moça...........................................Mario de Andrade (1941)
4 Canções
A Cantiga da Mutuca – (1949)
Cantiga – (1955)
Não Sei - (1956)
Vamos dar a Despedida – (1956)
Três Canções Brasileiras
Quando Embalada (1939)
Quebra o Coco, Menina – Juvenal Galeno (1948)
Vou-me Embora (1948)


4º Os Quartetos 27/03/07 Terça-feira, às 13h e 21h.
Quarteto Camargo Guarnieri
Elisa Fukuda – Violino; Maria Fernanda Krug – Violino; Renato Bandel – Viola; Fábio Presgrave – Violoncelo


Quarteto No 1 para Cordas (1932)
Enérgico e ritmado
Amarguradamente, muito expressivo
Depressa
Quarteto No 2 para Cordas (1944)
Enérgico
Nostálgico e expressivo
Alegre, solto
Quarteto No 3 para Cordas (1962)
Violento
Lento
Vivo e ritmado


Produção: Dinâmica Eventos e Produções

Diretor Artístico e Musical: Carlos Eduardo Vieira

Produtor Executivo e Coordenação: Carlos Hamilton Martins Feltrin

Assistente de Produção: Lucas Reyes

Patrocínio: Banco do Brasil

Apoio: Hotel Meliá - Tryp Park



CCBB Brasília
Aberto de terça-feira a domingo das 10h às 21h
SCES Trecho 2, lote 22 – Brasília/DF
Tel: 61 3310-7081

e-mail: ccbbdf@bb.com.br site: www.bb.com.br/cultura

O CCBB disponibiliza ônibus gratuito, identificado com a marca do Centro Cultural. O transporte funciona de terça a domingo, saindo do CCBB a partir das 11h.