sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007

novo maestro para o municipal do rio

O maestro Silvio Barbato não é mais o regente-titular da Sinfônica do Teatro Municipal do Rio. O anúncio, sobre o qual o jornal "O Globo" dá materia hoje, foi feito pelo novo presidente da Fundação Teatro Municipal, Luiz Paulo Sampaio. Ele, na verdade, extinguiu o cargo de regente-titular – à frente da orquestra, vão se revezar maestros convidados que vão passar de três a seis meses cada um com o grupo. Foi criada, no entanto, a vaga de regente assistente, que será ocupada pelo jovem maestro e compositor Guilherme Bernstein-Seixas, autor de “O Caixeiro da Taverna”, ópera apresentada no ano passado pelo Teatro São Pedro. “Imutabilidade não é boa. Acredito na pluralidade de técnicas e estilos”, disse Sampaio. O tenor Eduardo Álvares, que ocupava o posto de diretor artístico, também foi exonerado – e, ao menos por enquanto, o cargo será ocupado pelo próprio presidente da fundação. Ele não explicou os motivos para as trocas, disse apenas que, quando muda o governo, “é comum haver exonerações de cargos comissionados”.

2 comentários:

Lauro Machado disse...

Vamos assistir no Rio ao repeteco da experiência mal-sucedida que foi feita com a Municipal daqui? Orquestra sem regente titular fica sem personalidade própria, em que pese essa história da diversidade. É ver para crer.

pedrita disse...

vou aguardar a programação, acho que assim dá pra perceber melhor como as mudanças interferiram no theatro. beijos, pedrita